Buscar
  • Cris Monteiro

Sobre autoestima

Atualizado: Abr 1


Muitos sabem, mas é sempre bom lembrar, que ter uma boa auto-estima é fundamental para nossa saúde mental e para a capacidade de conseguirmos nos relacionar bem com os outros.


Auto-estima é a habilidade de enxergar e aceitar todas as suas falhas e, ainda sim, se amar acima delas.


Ao fortalecê-la, ficamos mais felizes e inabaláveis emocionalmente, propensos a cuidar bem de nossos relacionamentos e de nossa família.


Óbvio que não dá para ser super feliz sempre, quando coisas ruins acontecem, como estar em meio a uma separação ou quando perdemos o emprego, é comum que o seu crítico interno diga coisas como: "Você não é bom o suficiente" ou "Você nunca será feliz".

Você, então, começa a agir de acordo com esses pensamentos negativos, começa a se cuidar menos, exigir menos das coisas e parar de acreditar em si mesmo.


E, embora seja natural ter altos e baixos de confiança, - especialmente quando a vida joga uma bola na curva - se a sua auto-estima estiver constantemente ausente e baixa, ela poderá ter um impacto negativo não apenas em você, mas também em seus relacionamentos românticos e em sua dinâmica familiar.

Fora que se amar é tudo de bom, as coisas ficam mais fáceis, a vida mais consciente, o relacionamento mais leve e os filhos aprendem com você.


Se a sua auto-estima está baixa ou se você se sente mal há muito tempo, a chave para recuperar a sua confiança é mudar aqueles seus pensamentos negativos.

Um bom lugar para começar é perceber a negatividade das suas conversas internas e revertê-la.

O diálogo interno é aquele script que a gente mesmo cria na cabeça e que desempenha um loop infinito no seu cérebro. Se tudo o que você está dizendo a si mesmo for negativo, isso afetará o modo como você se sente e se comporta. As coisas nunca serão tão boas quanto podem realmente ser.

Pessoas com baixa auto-estima tendem a ver o mundo como um lugar hostil e a si mesmas como vítimas do mundo. Como resultado, elas relutam em se expressar e melhorar, perdem experiências e oportunidades e se sentem impotentes em mudar as coisas...


Uma vez que se aceita a importância da auto-estima para os relacionamentos e vice-versa, faz sentido colocar um esforço consciente na construção ou no fortalecimento de nossa própria auto-estima e na do nosso outro significativo. Certo?


A seguir, estão algumas dicas para aumentar a sua auto-estima:


-Faça duas listas: uma de suas qualidades e uma das suas realizações. Tente conseguir um amigo ou alguém querido que o ajude nessas listas, pois as pessoas com baixa auto-estima geralmente não estão no estado de espírito mais objetivo. Mantenha as listas em um local seguro e leia-as todas as manhãs :)


-Busque melhorar as habilidades de comunicação. Eles não apenas são importantes para qualquer relacionamento, mas também refletem na sua confiança sobre si mesma. Elas envolvem: falar de forma clara, honesta, concisa e assertiva, além da capacidade de ouvir.


-Pense positivamente em si mesmo.

Lembre-se de que, apesar dos seus problemas, você é uma pessoa única, especial e valiosa, e que merece se sentir bem consigo mesma!


-Preste atenção a cuidados pessoais como sua higiene: tome um banho, escove os cabelos, corte as unhas e assim por diante. Sua percepção de si mesma tem um enorme impacto em como os outros te percebem!


-Comece a organizar as coisas de maneira simples a fim de simplificar todas as áreas de sua vida.


-Mude o seu pensamento sobre suas ‘’falhas’’. A única validação que importa é a sua! Você deve praticar novos pensamentos até começar a mudar seus sentimentos sobre si mesma. Baixa auto-estima é um sinal de algo mais profundo que precisa ser resolvido.Veja-os como uma parte necessária do processo de crescimento e aprendizado. Falhas são evidências dos esforços que você está tentando! Não importa o que aconteça, e você sempre aprende algo novo adicionando experiência à sua transformação pessoal.


-Estabeleça objetivos pequenos. Todos os dias, defina uma ou duas pequenas metas para si mesmo. Leia, ouça, estude e aprenda sobre como viver com inteligência emocional e maturidade.


Não faz sentido desperdiçar toda sua energia pensando em coisas que você não pode alterar. Em vez disso, pense em algumas das coisas que estão ao seu alcance e veja o que você pode fazer sobre elas.

Concentre-se nas coisas que você pode mudar!


Não se sinta mal se não puder fazer tudo de uma vez.

O objetivo é focar no que você pode fazer agora e construir a partir de agora.

Isso ajudará a mostrar que você tem muito a oferecer.


O que mais importa é como você se vê!


Texto adaptado por: Rafaella Priolli

Conteúdo original: Cris Monteiro (Youtube)

Ilustração: Riki Blanco

123 visualizações
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

11 99117-6659

©2020 por Cris Monteiro.