Reconquistando o ex

Atualizado: Mar 4


Imagem: Pinterest


Separação. Como lidar?


Seu amado saiu de casa e diz que não quer mais estar contigo…


"Eu não sei mais o que fazer, já tentei de tudo, ele simplesmente não me ama mais"

Tenho certeza de que pensamentos assim já se passaram pela sua cabeça, como também na de tantos outros que vieram me procurar, na esperança de enxergar uma "luz no fim do túnel".


Bom, você está no lugar certo.

Já disse em outras ocasiões e vou repetir:


"A possibilidade de reparar o irreparável é uma das coisas que tornam a vida mais interessante."


Pare de encarar essa situação como o fim do mundo!

Na pior das hipóteses, ainda carregará todo o aprendizado e lembranças boas que essa pessoa pode vir a ter representado na sua vida. Se anime!

O momento agora é de superação.

Superação para ter condições de agir e fazer diferente, ao invés de simplesmente se submeter aos mesmos comportamentos que o levaram ao primeiro fracasso.


Entenda uma coisa.

Se seu parceiro saiu de casa, muito provavelmente é porque, em algum momento, ele se sentiu sufocado.

Diversos fatores podem levar alguém a se sentir assim.

Portanto, é complicado generalizar.

Trouxe aqui a história de uma paciente para exemplificar o "sufoco" em uma relação.


Julia veio até mim com o seguinte relato:

Após um longo período de crise, com problemas financeiros, afastamento do marido, brigas, xingamentos e etc... Ela resolveu sair de casa.

Saiu uma vez, mas voltou.

Saiu a segunda, depois voltou de novo!

Saiu uma terceira, mas quando quis o terceiro retorno, seu esposo disse que não a queria mais. Afinal, estava cansado dessa indecisão e não podia viver nesse "vai e vem".

Julia, aceitou. Mas alguns poucos dias foram o suficiente para que ela começasse a sentir um enorme vazio e incontroláveis sentimentos de culpa. Consequentemente, surgiu uma vontade (ou até necessidade) de fazer as pazes com seu amado. A perspectiva de nunca mais ter aquela pessoa na sua vida muda tudo.

Muda tanto, a ponto de ser capaz que você até abra mão do seu orgulho, vez ou outra.

E é justamente por esse caminho que devemos seguir.


Meu conselho inicial a Julia foi que parasse e refletisse: em meio a todo o caos dos últimos meses, quais foram as principais queixas do seu homem?


Calma, ninguém aqui está falando sobre ignorar suas próprias reivindicações, ou sequer assumir a culpa do fracasso. Mas, sim, abandonar um pouco essa postura defensiva, a fim de alcançar o equilíbrio.


Equilíbrio. Essa é a palavra que irá nos guiar.


Em determinado momento no seu relacionamento, ele se perdeu.


As diferenças passaram a falar tão alto...

As coisas boas que, a princípio, fizeram vocês se apaixonar, passaram a ser meras lembranças de um passado que parece muito mais distante do que realmente é.

Percebe um total desequilíbrio nessa história toda?

Tenha em mente que desentendimentos sempre vão existir, em qualquer relação que for, seja de namoro, amizade, família, trabalho e etc.

O que nos dá fôlego para superar uma adversidade é o tal do equilíbrio.


Saber que, para evoluir, às vezes, vai ser necessário aturar uma desavença ou outra.

E não tem nada de errado nisso, uma vez que a vida em casal parte do pressuposto em que dois seres humanos estão dispostos a se entender e ajudar, independente de qualquer período turbulento ou confusão.


Ao tomar conhecimento desse fato, o primeiro passo na tentativa de reconquistar seu amor está dado. Afinal, reconhecer as próprias fragilidades, defeitos e pontos negativos te dará uma noção de bom senso que, possivelmente, até então, era desconhecida.

Será capaz de, pelo menos em um primeiro momento, olhar para os defeitos e pontos fracos de seu parceiro e tentar entender, ao invés de julgar.

Tal alteração no comportamento é possível pois, ao olharmos para dentro de nós mesmos, percebemos que não é fácil lidar com nossos próprios problemas.

Estamos em uma constante luta diária contra inseguranças, medos, cobranças, traumas, ansiedades…

Nossa batalha é tão intensa que acabamos esquecendo que as pessoas que estão ao nosso lado também vivem suas própria lutas diariamente, com todos os problemas citados anteriormente, às vezes só de um jeito diferente.

Esse discernimento é extremamente importante, pois faz com que se desenvolva empatia.

Empatia e equilíbrio são palavras que caminham lado a lado. Lembre-se disso!


Quando esses conceitos estiverem bem estabelecidos dentro do seu consciente, permita-se viver o que tiver vontade!

Caso ela ainda seja voltar para aquele que te deixou, pelo menos é certeza que terá muito mais jogo de cintura para, de fato, tentar fazer diferente.

E se você quer que seu "ex" mude a postura também, não há nada mais eficiente do que dar o exemplo.


Faça o certo, ou pelo menos o que parecer certo.

Pode ser que ele, ou ela, perceba sua mudança e não queira ficar para trás.

Pode ser que não.


De um jeito ou de outro, você estará pronto para viver uma vida muito mais leve e livre de julgamentos.

E é isso que importa no final das contas.

166 visualizações
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

11 99117-6659

©2020 por Cris Monteiro.