Buscar
  • Cris Monteiro

O segredo do Amor Próprio


É gratificante ver que, no geral, as pessoas têm buscado mais informações e orientações a respeito do autocuidado. Numa vida de inúmeros estresses, imprevistos e acasos ruins - é importante buscar o autoconhecimento e a cura para os baixos da nossa trajetória...

O conceito de auto-ajuda nunca esteve tão em alta. Aliás, se cuidar nunca esteve tanto em alta.


É até esquisito. Valorizamos e admiramos cada vez mais á aqueles que se cuidam. Invejamos os que conseguem ter uma rotina saudável, invejamos aqueles que são mais confiantes do que nós, invejamos os que se impõem e ficamos altamente incomodados quando estamos perto de alguém que também não se cuida. É esquisito, como eu disse...


Autocuidado é a chave para uma vida mais feliz. É isso que queremos, não? Levar a vida mais leve, ser mais confiante e evoluir como ser humano... Queremos cada vez mais - sermos felizes de verdade. O que muita gente ainda falha em perceber, é que o primeiro conceito e objeto de auto-análise nessa caminhada de evolução pessoal tem que ser a nossa própria percepção de nós mesmos. Nossa auto estima - ou amor próprio, se você preferir.


É tão importante a nossa percepção de nós mesmos... Afinal, se nem nós nos enxergamos como sendo o máximo e tudo de bom, como podemos esperar que os outros achem de nós, tudo isso? Veja, se vemos a nós mesmos como pessoas de pouco mérito, como sendo pouca coisa - vamos agir como se fossemos pouca coisa! E pior! Damos inconscientemente o direito aos outros de que nos tratem assim! Pensamos tão pouco sobre nós que não temos força para discordar e lutar com as pessoas que nos rebaixam. No nosso interno mais íntimo, concordamos secretamente com os eles...


As vezes é difícil sair desse looping de baixa auto-estima. Estímulos fortes e negativos do passado ou a falta de estímulos positivos podem marcar muito o comportamento de alguém e influenciar diretamente na maneira como nos enxergamos.


Sou filha caçula com dois irmãos mais velhos, sendo um deles - o mais velho de todos - fruto do primeiro casamento do meu pai. Sempre fui muito observadora e com gosto e curiosidade pelo ser humano, suas formas e jeitos de maneira que, percebi com o passar dos anos certos fatores que moldaram as personalidades de meus familiares - a maneira como eles mesmos se enxergam.


Meu irmão mais velho por exemplo sempre foi mais "cheinho". Desde criança comia muito e ainda comia mal. Também lutava com problemas de ansiedade e, com o tempo e com os maus hábitos, novos problemas de saúde vieram a surgir.

Já meu irmão mais novo sempre teve um bom porte físico e sem nenhum problema aparente de ansiedade ou qualquer tipo de transtorno psicológico. Muito pelo contrário - sempre se relacionou bem com os amigos da escola e nunca foi retirado de nenhuma maneira. Crescia com o tempo a preocupação em torno do meu irmão mais "cheinho", que além dos problemas de saúde, também se mostrava muito desconfortável quanto ao físico dele. - Não tirava a blusa na praia por nada, evitava acampamentos e passeios de turma e era tímido, muito tímido. - Ele se via de uma maneira desagradável e não se cuidava, era infeliz com sua percepção de si mesmo e isso refletia em como ele se comportava no dia-a-dia. Meus pais então o protegeram. Colocaram ele em uma psicóloga para trabalhar a ansiedade, prestavam mais atenção nas horas das alimentações, o incluíram em uma atividade esportiva… Com o tempo ele foi ficando menos ansioso, dai ele parou de comer tanto, inevitavelmente emagreceu, ficou mais confiante quanto a sua aparência, tomou gosto pelo vôlei e fez vários amigos no time - perdeu a timidez. Já meu irmão que era mais tranquilo, seguiu sendo como era... Sem a atenção extra que víamos com nosso irmão mais velho - reparei algo interessante acontecer. Meu irmão mais novo que sempre teve comportamento típico e nenhum problema, começou a ficar mais desleixado quanto a alimentação, começou a engordar e cresceu para se tornar um adolescente mais retraído e tímido.

Já o meu irmão mais velho que recebeu todo o cuidado e que começou a estimular sua percepção de si desde muito novo... que começou a se cuidar... Acabou por crescer mais atento e regrado quanto sua saúde, menos retraído socialmente. Ficou magro, mais confiante e mais feliz.

O cuidado e a atenção - os estímulos - que foram dados a ele por todos esses anos - o fizerem desabrochar e criar uma resiliência para suas inseguranças. Ele aprendeu a superá-las e a se cuidar. Ele mirou no autocuidado e encontrou a auto-estima. Cuida dela todo dia desde então, e é assim que ele desenvolveu seu amor próprio.

Curioso não é?

Mesmo tendo crescido com mais problemas que meu outro irmão, ele acabou por sobressair como o mais confiante.

Os estímulos que inserimos na nossa jornada de melhora faz toda a diferença. Se cuidar - faz toda a diferença.


Então o que devemos fazer? Nós adultos que queremos entender melhor sobre nós mesmos, devemos olhar para nossas histórias e nos perguntar:

Quais foram os estímulos que recebemos? E quais foram os que deixamos de receber?


Como somos seres humanos, refletindo começamos a ver as nossas qualidades... Temos uma tendência muito grande de jogar defeitos e faltas a nós mesmos. Não fazemos o esforço de nos reconhecer de vez em quando...

Devemos olhar para nossas qualidades e nos perguntar o que temos de bom.

O que é bom sobre você? O que você faz que beneficia a você? O que você faz que beneficia os outros?


Após responder tudo isso quero que pense:

Onde é que tá faltando?

Você sente que as pessoas não gostam de você?

Você sente que você é menos do que alguém?


Se sim, você ainda está se comparando demais e se cuidando de menos. Deixe de lado essas comparações! Você é o que é - resultados de todos aqueles estímulos e experiências, que te tornam… você.

É maravilhosa a variação de ocasionalidades que fazem da gente - a gente.

Lembrando sempre que estamos em constante transformação!

Tudo é mutável!

O lindo dessa história toda de ser humano, é que temos em nós a incrível capacidade de olhar para nós mesmos e avaliar sobre o que não estamos satisfeitos. Temos a incrível capacidade de mudar. - se quisermos. É tudo sobre criar causas e condições para que você se transforme.

Não é nada mais que isso. Esse é o segredo.


A beleza de ser humano é ter - em nós - infinitas possibilidades.


Texto: Rafaella P.

Ilustração: Teresa Grasseschi


96 visualizações
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

11 99117-6659

©2020 por Cris Monteiro.