Como tirar meu parceiro do celular?

Atualizado: Mar 4


Imagem: Pinterest


Olá pessoal!


Para quem me acompanha das outras redes sociais, trago boas notícias!

A partir de hoje, está inaugurado nosso blog aqui no site do Instituto.

Um espaço para conversarmos e compartilharmos ideias e pensamentos, a fim de, juntas (ou juntos), evoluirmos.

Esse é o nosso blog.


Para darmos nosso pontapé inicial, separei algumas informações e conselhos que podem te ajudar a lidar com um problema muito comum nos relacionamentos contemporâneos: o celular.


É muito complicada a convivência com alguém excessivamente apegado ao celular.

Se já passou por isso, sabe como pode criar uma sensação de distanciamento entre você e seu parceiro. Quase como se houvesse um abismo entre vocês, não é? A sensação de isolamento transforma-se numa luta interna constante, isso vai se acumulando de maneira que fica difícil criar uma linha de diálogo ou até forças para mudar esse cenário. Já se sentiu assim?


Ao ver sua outra metade sempre tão preocupada em esconder notificações, senhas e extremamente conectada com a vida digital, é normal que muitas vezes você se sinta desconectada da vida real compartilhada entre vocês. É difícil lidar com a insegurança e a curiosidade. O que pode estar acontecendo ali?

Inconscientemente, você se encontra num nível de hesitação tão grande que, em diversas situações, acaba deixando suas vulnerabilidades falarem mais alto. O resultado é uma dose extra de pressão a toda essa situação.

Bisbilhotar o celular do seu parceiro, demonstrar ciúmes excessivos, pressionar com perguntas invasivas… Todos são exemplos de atitudes que só vão alimentar mais ainda seus medos e aflições. Fuja disso! O grande segredo para lidar melhor com eles é tentar entendê-los e desconstruí-los.


Sim, a insegurança pode vir de uma traição, um trauma, baixa auto-estima ou diversos outros motivos. Porém, é válido ressaltar que nós, como seres sensitivos, temos a tendência de nos culpar por situações que fogem do nosso controle. Estamos sempre tentando justificar comportamentos estranhos e aquela sensação de carência dentro de nossos relacionamentos. É muito comum que, em situações como esta, onde não há como saber inteiramente o que está se passando com a outra parte, você procure o problema dentro de si. Obviamente, isso te deixa muito mal, a ponto de criar situações em sua cabeça que ,acabam fazendo você se sentir mais ansiosa, volátil, triste, menos suficiente, menos interessante, menos atraente e com menos forças para lidar com conflitos e com a vida num geral, não é mesmo?


Muitas vezes, pode ser tentador querer descobrir por outros meios o motivo do mistério e apego excessivo ao celular, mas desrespeitar a privacidade do seu parceiro pode também acabar trazendo consequências maiores na confiança entre vocês, que já pode estar bem abalada.


Mais importante do que descobrir os porquês deste comportamento, é criar uma linha de diálogo confortável para que seu parceiro sinta-se seguro. Intimá-lo de maneira mais brusca pode criar a sensação de maior desconexão e desapego: “afinal, se ela não confia mais em mim, por que diabos vou tentar provar o contrário? “ - Aqui o segredo é evitar criar um ambiente onde alguma das partes se sinta sem nenhuma credibilidade. - Mas como?- Dando a entender que você acredita no potencial de mudança do outro. Encorajar é sempre muito importante dentro de uma relação, assim como acreditar no próximo. Ele precisa saber que você ainda tem esperanças, para que assim, ele mesmo acredite que pode mudar por você.


Ao decidir por uma tentativa de diálogo, é interessante procurar sempre manter um tom de voz calmo e respeitoso. Lembre-se sempre de expressar seus medos ou inseguranças de maneira coerente, dando espaço para que o outro também demonstre seu ponto de vista. Deixe claras suas vontades e conversem sobre como vocês poderiam, juntos, trabalhar a fim de que a situação fique mais favorável para ambos.


Por fim, no meio de tudo, é importante não esquecer de se dispersar, sorrir, sair, ser feliz, se cuidar e investir mais em você, uma vez que, quando em uma relação conflituosa, podemos acabar nos desgastando muito e esquecendo disso.

Focar muito no entrave não é saudável. Sim, a intenção é resolver, mas nunca de uma maneira obsessiva que acabe te trazendo para um limbo de tortura psicológica. Afinal, ninguém merece sofrer tanto!

Pensar em si é essencial. Portanto, nunca pare sua vida por situações que exigem demais de você. Seu mental e sua saúde vem em primeiro lugar.

Até porque, não dá para cuidar de nada, muito menos de um conflito no relacionamento, sem estar bem primeiro, não é?


Bom galera…

Assim, encerramos nosso bate-papo inicial.

Sintam-se convidadas(os) a deixarem suas opiniões e histórias nos comentários, estarei respondendo-os sempre que possível.

Pode ser até que sua história seja tema de algum texto futuro...

E fiquem ligados que amanhã tem mais conteúdo quentinho para vocês aqui no blog!

256 visualizações1 comentário
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

11 99117-6659

©2020 por Cris Monteiro.