Auto sabotagem: A necessidade de agradar a todos


Você sente uma necessidade compulsiva de agradar aos outros?


A realidade é que, em qualquer ambiente no qual você esteja presente, você não se sente à vontade enquanto não conquista a confiança de todos ali presentes… Certo?

Afinal, você nunca sabe se os outros ali estão gostando de você, apreciando sua companhia, ou se estão incomodados com algo que você possa ter feito ou falado.

Essa dúvida martela em sua cabeça e, assim, a ansiedade já começa a despontar…


E antes fosse apenas em um ambiente com pessoas desconhecidas, mas não.

Essa insegurança reflete em todas as outras áreas da sua vida.

Na vida acadêmica, nunca se sente capaz, afinal, sempre há um aluno mais inteligente

do que você.

Na vida profissional não é diferente, sempre há alguém com mais capacitações do que você…

E até na vida amorosa e pessoal você começa a se questionar, afinal, se você é tão incapaz assim, certamente que seu parceiro e as outras pessoas ao seu redor não farão questão de te ter por perto.

Aos poucos, as inseguranças vão tomando conta de sua vida por completo.


Mas por quê?

Por que existe essa necessidade em agradar?

Quais motivos fizeram com que você crescesse e se tornasse essa pessoa tão insegura de si?

É importante que voltemos algum tempo no passado para refletirmos e chegarmos a resposta para essa pergunta.


Pode ser que, lá atrás, quando ainda era uma criança, você tenha sofrido abusos que o fizeram sentir que, naquele momento, era necessário mudar quem você é, de modo a agradar terceiros e ser aceito por eles.

A partir daí, seu instinto de defesa fez com que você sempre fizesse questão de agradar os outros, de modo a não ser julgado e, assim, não ter problemas.

Vale lembrar que crianças podem ser muito cruéis, por não ter ainda exata noção do que é certo e o que é errado. Consequentemente, muitas delas acabam saindo prejudicadas por bullying, seja ele físico ou verbal.


Pode ser também que sua insegurança seja fruto da educação que seus pais deram à você.

Vou te contar um fato que talvez você não saiba…

Muitas das pessoas que são pais, às vezes acabam depositando em seus filhos todos os traumas que vivenciaram por si mesmos ao longo de suas vidas. Baseando as experiências dos filhos em experiências que tiveram, ou então instigando seus filhos a fazerem algo que queriam ter feito, mas não tiveram tempo, ou coragem, para tanto.

Esses são os pais narcisistas, aqueles que tiram o brilho dos filhos por não aceitar que o filho pode superá-lo. Aqueles que se importam mais com as próprias vontades, desejos e ambições do que com qualquer outra coisa.


Esse tipo de pai, ou mãe, é algo tóxico para a vida de uma criança, afinal, desde pequena, ela será cobrada para ser algo que não necessariamente é.


Pode ser também que você tenha convivido com pessoas extremamente desagradáveis, mas não tinha ainda noção para se afastar ou repreendê-las.

Pode ser que você tenha crescido insatisfeita com seu corpo, ao ver suas amigas sempre tão magrinhas e "gostosas".

Ou então, você pode ter sido o último de seus amigos a beijar na boca, fato esse que te ajudou a criar e cultivar uma enorme insegurança na hora de conversar com alguém do sexo oposto.


Pode ser que, em algum momento, você tenha convivido com pessoas cujos valores e princípios eram diferentes dos seus. E essa diferença pode ter pesado, de tal modo que você tenha vindo a questionar seus próprios princípios e valores.

Esses questionamentos, por sua vez, podem ter sido cruciais para o seu desenvolvimento como ser humano. Como resultado, hoje em dia você não é 100% convicto de suas opiniões e está sempre disposto a adaptar-se quando questionado.


E é aí que encontra-se o maior erro de todos!


Independente de quão traumático tenha sido seu passado, chegou a hora de virar a página! Chegou o momento de deixar todas essas questões onde deveriam estar: no passado!

Você cresceu, você evoluiu e, hoje, as coisas não são mais do jeito que eram na época de sua infância ou adolescência.


Se naquela época você era obrigado a adaptar-se para ser aceito em um círculo de amizades, hoje em dia, você não é mais preso ao mesmo nicho. Existem infinitas pessoas por aí que vão aceitar ser suas amigas, do jeito que você é!

O mesmo aplica-se para suas relações mais íntimas…

Não é necessário cometer loucuras para se manter dentro do padrão que você imaginou, afinal, existem pessoas que vão querer se relacionar com você independente de questões estéticas.


Se o problema for seu pai, ou sua mãe, então…

Você provavelmente já não depende mais deles para viver. Você construiu uma vida, uma carreira… E olha só? Você conseguiu fazer isso tudo sozinha, ou sozinho!

Ao perceber que você só depende de si mesma(o) para conquistar aquilo que almeja, você se blinda de críticas e olhares indesejados.


Minha intenção não é desmerecer seus traumas e tudo aquilo que você lutou para superar. Não!

Minha ideia aqui é justamente te fazer perceber que esses traumas são frutos de momentos passados, em contextos diferentes, muito distantes da realidade atual na qual você vive.


Ao enxergar sua vida sob esse ponto de vista, é possível ressignificar diversos destes eventos traumatizantes, criando assim uma perspectiva mais otimista, na qual você se cobra menos para agradar aos outros, e mais para agradar a si mesmo(a)!



Texto: Otávio M.

79 visualizações
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

11 99117-6659

©2020 por Cris Monteiro.